« Página Inicial Clube da Sombra
inicial | imagens | necessidades técnicas | informações | trilha sonora | histórico | logística | divulgação | ficha técnica | contato

 


INFORMAÇÕES

Gênero
Teatro de sombras

Tipo
Espetáculo de teatro de animação para sala fechada, palcos cobertos e espaços alternativos

Público
Indicado para toda a família



Faixa etária
Indicado para crianças e adultos a partir dos 6 anos

Tema
Inspirado nos personagens e fatos bíblicos sobre a anunciação e nascimento de Jesus

Duração
35 minutos

Sinopse
A projeção de um mapa do Oriente Médio situa a cidade de Jerusalém. Em meio ao caos da guerra surge a cidade de Belém, onde nasceu o Menino Jesus. A partir daí uma viagem no tempo leva o espectador dois mil anos atrás, até a aparição do Anjo Gabriel, quando o conflito cessa. A missão do Anjo é encontrar Maria e anunciar que ela é a escolhida para dar a luz ao messias. Os exércitos romanos perseguem o casal pela noite no deserto. Eles fogem para Belém em um burrico e chegando lá, José e Maria não encontram local para passar a noite, obrigando-os a ficar em um estábulo junto com os animais. Local onde nasce Jesus. Todos os pastores próximos vão conhecer o filho de Deus. No céu surge a estrela que guiará os magos do oriente. O menino Jesus é consagrado pelos Reis e uma grande luz ilumina todos os presentes. É Natal no mundo dos homens! Nasceu o Filho de Deus!

Concepção
É um espetáculo de teatro de animação onde os sombristas (ator e técnico que possui várias funções durante a criação e a encenação de um espetáculo de teatro de sombras) encenam os principais fatos, de forma humanizada, que antecederam o nascimento do Menino Jesus. É uma obra para apresentações em salas fechadas ou espaços alternativos protegidos da luz externa. Tem uma narrativa dinâmica e de fácil entendimento por utilizar cenários e figuras de referência clássica como o presépio, a caravana de camelos dos Reis Magos, a manjedoura e as paisagens desérticas do Oriente. Por ser um espetáculo de estática exótica, esta linguagem surpreende e desperta a curiosidade tanto nos adultos quanto nas crianças, pois o gênero do teatro de sombras é tão antigo quanto à própria história de Jesus Cristo e ao mesmo tempo, tão moderno e próximo à dinâmica do cinema contemporâneo.

Personagens
Anjo Gabriel
Zacarias
Isabel
José
Maria
Jesus
Reis Magos
Pastores
Animais
Exércitos

Sequência de cenas
Abertura luminosa
Gênese
Guerra
Anjo e Zacarias
Anjo e Maria
Nascimento de João Batista
Caminho de Belém
Os Reis Magos
Nascimento de Jesus
Encantos de encerramento

Arte antiga e curiosidades sobre o teatro de sombras
Para contextualizar um pouco da história milenar do teatro de sombras, cabe registrar algumas curiosidades dessa arte que surgiu como entretenimento sem local ou data precisa, mas que alguns pesquisadores creditam o início dessa manifestação no período pré-histórico, quando os grupos primitivos se encantavam com o movimento da chama da fogueira e de suas próprias sombras projetadas nas paredes das cavernas que habitavam.

É muito popular em vários países do continente Asiático como expressão artística. Geralmente o uso desse gênero era relacionado aos rituais sagrados, sendo encenado por sacerdotes treinados para invocar as divindades populares destes países orientais. O Egito apresentava lendas populares no século XII d.C. No século seguinte os Mongóis invadiram a China e espalharam o teatro de sombras desse país para os islâmicos chegando essa arte na Turquia, Síria e no Afeganistão. Na Ilha de Java e na Indonésia essa arte foi registrada a mais tempo e estudos mostram a evidência de figuras e silhuetas na Tailândia, Grécia e na África.

Com o passar do tempo as encenações foram assimilando um caráter de diversão e entretenimento e eram muito apreciadas pelos sultões e a população. Na Índia antiga algumas apresentações podiam durar até dias seguidos, contando a mesma história. O teatro de sombras chega na Europa Ocidental no século XVIII, na Itália, quando padres católicos utilizaram para a catequização religiosa. Na França existiram dois importantes períodos no desenvolvimento da arte das sombras e que inspiraram posteriormente a invenção do cinema. No século XVIII surgiu o Teatro de Séraphin, com textos, cenários, artistas e sala de espetáculos e em seguida, no final do século XIX, surge o mais famoso local da apreciação dessa arte, o Chat Noir, espécie de pequeno cabaré com piano. Na mesma época surge na Europa, na virada do século XIX para o século XX, um interesse pelos fenômenos luminosos, efeitos e aparelhos para projetar imagens. Inicia a época da lanterna mágica, que mudaria todo o contexto do teatro de sombras dando início ao pré-cinema e suas invenções.

O teatro de sombras moderno está espalhado pela Europa, Américas e Ásia com alguns representantes na Oceania. Pode ser com bonecos, com as mãos ou com o corpo. No Brasil não existe a cultura do teatro de sombras, mas boatos de que jesuítas, vindos da Europa, usaram lanternas mágicas para projetar luzes e sombras na fumaça e no vapor d'água como um truque, na tentativa de assustar os índios que não acreditavam nas forças do mal. A lenda mais conhecida sobre o nascimento do teatro de sombras conta que o imperador chinês Wu Ti ao perder a sua dançarina preferida, ordenou que o mago da corte fizesse voltar a sua preferida do "reino das sombras". Caso o mago não conseguisse, seria decapitado. Usando a imaginação preparou a pele de um peixe, raspando-a cuidadosamente para que ficasse tão fina que pudesse recortar a silhueta quase transparente da dançarina. Numa varanda do palácio projetou em uma cortina branca a figura da dançarina por meio da luz do sol. O Imperador e a corte viram a sombra da dançarina bailando ao som de uma flauta e o mago não perdeu a cabeça.

No ano de 2012 a Unesco declarou o teatro de sombras chinês como patrimônio imaterial da humanidade.

Por muitos anos os livros sagrados da Índia foram usados para as representações com o teatro de sombras e a educação religiosa. Atualmente existem iniciativas de criação de escolas de teatro de sombras para dar continuidade à tradição nos países indianos.
Na ilha de Java, na Indonésia o teatro de sombras desenvolveu-se de forma peculiar, com uma tradição fortalecida por mestres que passaram essa arte de pai para filho. Possui a função mágica de fazer a mediação entre o homem e o mundo metafísico. Os textos mais conhecidos são o "Ramayana" e o "Mahahbarata" com ensinamentos religiosos e narrativas de deuses, príncipes e guerreiros. Tradicionalmente essas apresentações contavam com vários atores e música ao vivo.

O teatro de Karagöz da Turquia é popular em feiras, com apresentações à noite. As histórias são de humor picante e influenciaram essas manifestações na Grécia, Hungria e Áustria. Tendo em vista essas curiosidades históricas, a encenação do Auto Luminoso de Natal torna-se um acontecimento único e popular, pois é idealizado para todas as idades respeitando todos os credos. As imagens projetadas com luzes, sombras e a música, contam a história do nascimento de Jesus. O movimento do espetáculo estimula a reflexão do espectador para uma busca interior onde cada um pode vislumbrar um mundo mais sereno e pacífico.

 


 
© Clube da Sombra + 55 (51) 3446 9134 / + 55 (51) 9978 5657 clube@clubedasombra.com.br